A barraca das figuras de cera

Waxworks

/10

Ano: 1924

Categoria: 1920 - 1929Mistério/ Drama

SINOPSE

Não é uma obra-prima como “Nosferatu” ou “Caligari” mas consegue ter a sua piada. O filme consiste num conjunto de 3 histórias com finais inesperados.

O dono de um museu de cera “Harun Al Raschid” (protagonizado por Emil Jannings), necessita que três modelos de histórias que elaborou sejam representadas numa peça que se encontra a desenvolver.

Devido à sua falta de inspiração, contrata um escritor “The Poet” (William Dieterle) para o ajudar. O escritor assim que vê a filha do seu novo patrão, começa a escrever histórias não só baseadas no que lhe foi pedido, mas inevitavelmente inclui a filha, o dono e ele próprio.

Na primeira história, coloca-se no lugar de um pasteleiro “Assad the Baker” que é casado com a filha do dono, que pisca demasiado o olho aos clientes. Um sultão revoltado, ordena a execução dele porque o cheiro da sua padaria está a chegar ao seu palácio, algo que ele considera extremamente intolerável.

A segunda história é sobre Ivan The Terrible, representado por Conrad Veidt, um homem que liderava o Império Russo que subjugava as pessoas a uma crueldade sem precedentes. História com ambiente inquietante.

Enquanto escreve a terceira sobre o assassino “Jack the Ripper”, (protagonizado por Werner Krauss) adormece e tem um terrível pesadelo em que ele e a rapariga estão a ser perseguidos por “Spring-Heeled Jack”, representado também por Werner Krauss.